quinta-feira, 7 de fevereiro de 2019

Pedreirense teve que fazer “barraco” no Socorrão de Presidente Dutra pro seu irmão ser atendido.



Redação: Júnior Delabarrera, 07 de Fevereiro de 2019 ás 15h:30min

A família do jovem Pedreirense Lucas de Sousa Oliveira de apenas 18 anos, está vivendo momentos difíceis. Na meia noite do dia 30 de janeiro deste ano (2019) o jovem Lucas sofreu um grave acidente nas proximidades do Cuscuz em Trizidela do Vale, logo de imediato foi socorrido às pressas e encaminhado ao Socorrão de Presidente Dutra-MA. 

Lucas de Sousa Oliveira, 18 anos de idade, ainda se encontra na UTI do Socorrão de Presidente Dutra. Obs: A família do jovem autorizou que publicasse a foto, o irmão do rapaz que procurou a redação do blog na manhã dessa quinta-feira(07) autorizou a divulgação das imagens e do vídeo.
O que a família não esperava é que seria tão demorado o atendimento, mesmo diante da grave situação que o jovem estava passando, completamente desacordado com sérias lesões em todo seu corpo, inclusive na região do crânio. De acordo com seu irmão mais velho Ezequiel Sousa Oliveira, de 22 anos, que acompanhava o irmão, ele relatou ao blog que demoraram cerca de 10 horas para seu irmão ser atendido, veja o relato de Ezequiel “Chegamos ao Socorrão de Presidente ás 04h00min da manhã do dia 30 de janeiro, o médico que recebeu meu irmão olhou para estado dele e solicitou que fosse feito uma tomografia com urgência, porém no hospital o aparelho que realiza esse tipo de exame não estava funcionando, mas o médico nos sugeriu que fizéssemos esse exame em uma clínica particular que ficava a poucos metros do hospital, e o mesmo ficou a par de solicitar do hospital uma ambulância para locomover meu irmão”. 
A imagem pode conter: 3 pessoas, incluindo Michel Patrick, pessoas sorrindo, pessoas em pé e terno
Lucas de Oliveira Sousa ao lado do irmão Ezequiel de Oliveira Sousa, o rapaz que relatou ao blog o ocorrido.


Diante dessa situação o que restou para Ezequiel foi simplesmente aguardar, esperou o dia amanhecer, e as 07h em ponto foi até a Assistência Social  do Hospital saber como andava os procedimentos no que diz respeito à ambulância que levaria seu irmão para realizar o exame, a resposta que ele obteve foi que eles  não estavam por dentro dessa situação, afirmando que nenhum médico havia comunicado, mas que iria ver essa situação.



  A resposta negativa abalou Ezequiel, pois já não suportava mais ver o seu irmão na angustia da morte.  Ezequiel manteve a calma e resolveu esperar,  poucas horas depois ele retornou a Assistência Social , e percebeu que estavam fazendo pouco caso, veja o que  diz Ezequiel: “ Quando retornei á Assistência Social novamente, eles só diziam que estavam no aguardo, e ficavam me fazendo de besta, mandando eu ir em enfermaria, recepção,  enquanto meu irmão estava lá em seu leito morrendo. Quando deu meio dia eu fiz um barraco no Hospital, implorando por socorro, pra ver se alguém agisse. Quando de repente o corredor do hospital encheu de médicos, psicólogos, enfermeiros, todos eles preocupados querendo saber o que estava acontecendo, eles me acalmaram e disseram que a ambulância já estava chegando, pediu pra eu me acalmar  e ter mais paciência. Fiquei na espera mais uma vez e nada dessa ambulância chegar, fiquei zangado novamente e fui na direção do hospital, já bravo, tive que dizer que iria filmar essa situação caso eles não me atendesse, a diretora assustada, tenta me acalmar e com a mesma ladainha falou que jaja chegaria á ambulância, só sei que das 04h da manhã, meu irmão foi ser atendido ás 14 horas, fiquei indignado”  desabafou Ezequiel.
essa materia:    Facebook  Twitter  Google+

0 comentários: