quarta-feira, 12 de dezembro de 2018

Após erro em exame, mulher entra com ação contra posto de Saúde em Codó



Após um erro no resultado de exame de HIV, a universitária Francisca Nayara Nascimento Salazar Cunha, de 27 anos, entrou com um processo na Justiça contra uma enfermeira que trabalha em um posto de saúde em Codó, a 290 km de São Luís. 



Grávida do primeiro filho, ela explica que procurou o posto para iniciar o pré-natal na última quarta-feira (5) e nesse dia foi convencida a realizar um teste rápido de HIV, pois acontecia uma campanha relacionada ao tema AIDS na Unidade de Saúde. De 53 exames feitos, somente o dela deu positivo. Surpresa e apavorada com a notícia, Nayara pediu a contraprova que é um direito previsto para casos assim.
 


“Era dia de campanha e eu falei para a enfermeira que se eles eram capacitados a diagnosticar, poderiam ser capacitados de fazer outro exame para fazer a contraprova. Ela só fez um exame e isso não é o protocolo, se um dá positivo, faz outro pra ter a certeza. Ela fez só um exame e deixou eu ir para casa naquela dúvida e naquela angústia”, desabafou.



O resultado positivo para HIV abalou toda a família que submeteu Nayara a mais três exames. Um na rede particular e mais dois no Centro de Testagem e Aconselhamento (CTA) na rede pública municipal e todos deram negativo para o vírus. “Nós fizemos lá no CTA, dois tipos de exames de testes rápidos e os dois deram negativos. No total, eu fiz quatro exames de HIV e só o dela que deu positivo. Nós acreditamos que o exame foi trocado e ela não aceitou”, explicou.

A enfermeira, Natécya Oliveira, responsável pelo exame de Nayara foi ouvida no posto de saúde onde tudo aconteceu e mostrou os documentos correspondentes ao exame. Ela informou que não há nenhuma possibilidade do exame ter sido trocado porque o teste foi supervisionado por ela mesma.

De acordo com a enfermeira, o único erro foi a falta de disponibilização de um segundo exame durante a campanha do posto. Natécya afirma também, que está se sentindo moralmente constrangida e que vai levar o caso a justiça contra Nayara por desacato a funcionário público no exercício da função, calúnia, injúria e difamação.

Nayara contou que também vai a justiça contra o município e a enfermeira que realizou o teste errado, porque entre outros motivos, acha que por muito pouco não perdeu a gestação por conta do susto emocional que viveu, sem sequer ter recebido um pedido de desculpas. “Eu não encerrarei o caso. Eu já fiz uma denúncia na ouvidoria da Secretaria do Município e pretendo ir adiante. Eu fiquei muito abalada, constrangida e estou sofrendo até hoje”, afirmou.

O secretário de Saúde de Codó, Suelson Sales, disse que qualquer resultado de HIV positivo só deve ser apresentado ao paciente depois de um segundo exame e que vai abrir um procedimento administrativo para apurar se houve ou não um erro por parte da enfermeira.






essa materia:    Facebook  Twitter  Google+

0 comentários: